210 540 000 (chamada local)
Contacte-nos
Nós ligamos!
O número de telefone é obrigatório Deve inserir um número de telefone correto
Ao preencher este formulário, entraremos em contacto consigo para lhe fazer chegar a nossa oferta de Eletricidade e Gás.
Aceito a Política de Privacidade
Para continuar, deve aceitar a política de proteção de dados
o
Contacte-nos
210 540 000 Linha de Apoio ao Cliente e Contratação
Tipos de aquecimento para casas - saiba o que ter em consideração

Tipos de aquecimento para casas - saiba o que ter em consideração  


Com as temperaturas a descer, começamos a olhar para os tipos de aquecimento para casas existentes no mercado e a fazer contas com o objetivo de assegurar a escolha certa: casa quente e confortável sem custos elevados no final do mês.

Sabemos que escolher um sistema de aquecimento adequado depende de vários fatores, como orçamento, isolamento, dimensão do espaço, ou preferências pessoais, sendo fundamental considerar a eficiência energética e os custos operacionais. Por isso, organizamos neste artigo várias opções que pode ter em consideração, tendo em conta as suas necessidades. 

Os 6 tipos de aquecimento para casas que existem 

 

Existem vários tipos de sistemas de aquecimento para casas, cada um com suas próprias características, vantagens e desvantagens. Alguns dos tipos mais comuns de aquecimento residencial incluem: 

Ar-condicionado

Uma opção muito popular atualmente, que embora um pouco mais dispendiosa (na fase de aquisição e instalação) o seu consumo elétrico é relativamente baixo, para além de permitir total conforto térmico tanto no inverno como no verão. Este tipo de equipamentos exige uma manutenção regular, nomeadamente para evitar a acumulação de bactérias nas condutas. 

Caldeiras

São grandes reservatórios metálicos que aquecem água e têm como fonte de energia o óleo ou o gás. A água aquecida é distribuída por radiadores por toda a casa, garantindo o conforto térmico em todas as divisões. São equipamentos de grande durabilidade e que exigem pouca manutenção. 

Painéis solares

Convertem a energia solar em eletricidade. Podem ser usados para capturar a energia do sol e aquecer a água que é então usada para aquecimento ou para abastecer sistemas de aquecimento de água. São totalmente amigos de ambiente e uma boa opção a médio e longo prazo. 

Radiadores 

Existem muitas opções no mercado. No caso dos radiadores elétricos, aquecem o ar diretamente em locais específicos da casa e são uma opção flexível, acessível e fácil de instalar em comparação com sistemas de aquecimento central. 

Salamandras (consumo de pellets)

Estes sistemas de aquecimento usam pellets (biocombustíveis compostos por biomassa vegetal) como fonte de calor. É uma opção bastante ecológica, mas que deve ter em consideração a dimensão do espaço que se pretende aquecer, uma vez que a autonomia da salamandra depende da dimensão do depósito de pellets. 

Lareiras com recuperador de calor

Estes equipamentos usam lenha para combustão e tem a vantagem de aquecer o espaço rapidamente, para além de através de radiadores ou piso radiante permitir o aquecimento de outras zonas da casa. 

Pensar numa solução de aquecimento adequada à sua casa e às necessidades da sua família é um processo complexo que tem em conta diversas variáveis. O espaço que se pretende aquecer, os gastos de aquisição, manutenção e custos operacionais para o funcionamento dos aparelhos são algumas das coisas nas quais deve pensar antes de tomar uma decisão. Para além disso, a questão da sustentabilidade é cada vez mais uma preocupação das famílias que também é tida em consideração quando são projetadas soluções de aquecimento/arrefecimento de casas. 

Independentemente da sua seleção, aconselhamos a contratar um Plano de Eletricidade e Gás que se adapte à sua necessidades de consumo, por um lado, por outro garantir que o investimento que efetuar no sistema de aquecimento está protegido. Para tal, a contratação de um serviço Apoio poderá ajuda-lo nesta vertente, na medida em que terá sempre um profissional disponível para identificar para realizar um diagnóstico. 

 

Qual o aquecedor que gasta menos energia? 

 

gasto de energia depende de vários fatores, incluindo as preferências de cada pessoa, por isso é difícil definir de forma taxativa o tipo de aquecimento que gasta menos energia. No entanto, em termos gerais, os aquecedores que tendem a ser mais eficientes em termos energéticos são os seguintes:  

  1. Sistemas de aquecimento através de painéis solares. Embora a instalação inicial possa ser dispendiosa (ainda que existam vários apoios do fundo ambiental para este efeito), os custos operacionais são baixos, uma vez que a energia do sol é gratuita. 
  2. Os sistemas de aquecimento que utilizam pellets de madeira como combustível são uma opção bastante ecológica em comparação com outros sistemas, para além de serem eficientes, rápidos no aquecimento e de garantirem a distribuição do calor de forma uniforme. 

Radiadores elétricos, embora tenham um preço de aquisição interessante e de cumprirem o requisito de aquecimento rápido, a longo prazo podem constituir um gasto acrescido na fatura da eletricidade.
 
Apesar da eficiência energética de qualquer sistema de aquecimento depender da utilização, do orçamento disponível e da área a aquecer, manter a casa bem isolada é um bom ponto de partida quando se projeta um sistema de aquecimento, sendo esta uma dica que deve ter sempre em consideração. 

Como escolher o melhor tipo de aquecimento? 

No momento de escolher a melhor solução de aquecimento para a sua casa é importante ter em conta vários fatores, nomeadamente: 

Avaliar as suas necessidades de aquecimento  

Para isso deve considerar o clima do local onde vive, bem como determinar a área total a ser aquecida, uma vez que este fator vai implicar o tamanho e a capacidade do sistema de aquecimento. 

Considerar a eficiência energética  

Informe-se sobre os sistemas de aquecimento e os aparelhos disponíveis no mercado e escolha aqueles com classificações de eficiência energética mais altas. Este fator contribui para diminuir custos operacionais; 

Analisar custos de instalação e manutenção

O orçamento disponível para a instalação ou aquisição de um sistema d e aquecimento é muito importantes e vai impactar a sua decisão. Alguns sistemas de aquecimento exigem um investimento inicial significativo, mas também existem alguns apoios disponíveis que podem ajudar nesta fase. Para além disso, pondere os custos de manutenção a longo prazo, bem como a disponibilidade e eficiência dos serviços de manutenção; 

Avaliar o conforto térmico

Alguns sistemas, como o aquecimento por piso radiante, oferecem um conforto térmico excecional, distribuindo o calor de forma uniforme, o que pode ser uma vantagem para grandes áreas, a médio e longo prazo. Outro aspeto importante é perceber qual a flexibilidade do sistema que escolhe. Em determinadas situações pode fazer sentido escolher sistemas ‘mistos’, que possam ser usados para aquecer e para arrefecer; 

Consultar um profissional  

Depois de analisar o mercado e as suas necessidades pode ser recomendável a consulta de profissionais que o ajudem na sua avaliação e que proponham soluções mais eficientes para si, numa ótima relação de custo/beneficio. 

Não existem soluções únicas. A escolha do sistema de aquecimento ideal depende sempre das suas necessidades, preferências e orçamento. Portanto, uma análise cuidada e, se possível, a consulta de um profissional, são essenciais para tomar a decisão certa.