Contacte-nos
Contacte-nos para novas contratações
o
Nós ligamos!
O número de telefone é obrigatório Deve inserir um número de telefone correto
Ao preencher este formulário, entraremos em contacto consigo para lhe fazer chegar a nossa oferta de Eletricidade e Gás.
Aceito a Política de Privacidade
Para continuar, deve aceitar a política de proteção de dados
-

Eletricidade para empresas: diferença em relação às ofertas para particulares

O controle dos custos da energia é bastante importante para qualquer empresa, seja ela micro, pequena, média ou grande. A competitividade dos negócios, principalmente em períodos mais instáveis, com altos níveis de inflação, exige uma atenção redobrada com as despesas e um maior controle sobre custos fixos.

Uma escolha acertada na hora de selecionar o Plano de Eletricidade que melhor responde às necessidades energéticas do seu negócio poderá representar uma grande poupança e, como tal, um maior lucro na atividade que esta desenvolve.

As ofertas de eletricidade para empresas são iguais às dos particulares?

 

No mercado, poderá até existir ofertas para empresas equiparadas às tarifas domésticas. Não obstante, as comercializadoras têm os seus próprios Planos para este segmento, uma vez que as caraterísticas são distintas. A Repsol, a título de exemplo, oferece um Plano de Eletricidade para empresas, em que a tarifa é indexada - Plano Leve Pro Sem Mais, o que quer dizer que as empresas não pagam o designado prémio de risco, aqueles que está associado à contratação de uma tarifa fixa. Também tem, de facto, um Plano similar para particulares designado de Plano Leve Sem Mais, todavia as caraterísticas são distintas.

Não obstante, existem semelhanças, por exemplo, no que concerne à tensão. Tanto o mercado doméstico, como a maioria dos pequenos negócios têm Baixa Tensão Normal (BTN), uma vez que, tanto num como no outro, as potências se situam entre 1,15 kVA e 41,4 kVA. Uma empresa com equipamentos com nível de tensão de 230V/400V não necessitará de uma potência superior a 41,4 kVA.

Mas isto não quer dizer que uma empresa com necessidades energéticas similares a uma família numerosa, que habita uma vivenda, possa contratar um Plano de Eletricidade e Gás concebido para o mercado residencial. Estes mercados são distintos, tanto em termos de apoios e tributação, pelo que não é possível a extensão de oferta, sempre que esta não esteja previamente concebida para tal.

Os ciclos horários das tarifas para as empresas são iguais aos dos particulares?

 

Dependerá sempre da oferta, no entanto, os ciclos horários são iguais. Uma empresa poderá contratar o ciclo horário que melhor se adapta à sua atividade. Aliás, uma boa escolha poderá, inclusive, resultar numa poupança considerável na fatura de energia.

Recapitulando o artigo referente aos ciclos horários, o preço da energia não é igual durante todo o dia, pelo que, a título de exemplo, se tiver um pequeno negócio em que parte da laboração é feita no horário Vazio (onde o preço da eletricidade é mais baixo), entre as 22h e as 08h, deverá escolher uma tarifa bi-horária. Já se o seu negócio funciona no período entre as 09h e as 18h, não terá grandes vantagens e aí o melhor será uma tarifa simples. Todavia, uma tarifa tri-horária também poderá compensar se, por exemplo, a sua empresa tiver parte do consumo entre as 22h e as 08h e não consumir energia entre as 09h e as 10h30 e entre as 18h e as 20h30.

Perguntas frequentes

Sim. De facto, o preço da Energia (€/kWh) é sempre indexado, o que quer dizer que o preço é baseado no mercado grossista, no entanto, também aqui os preços variam em função do ciclo horário, razão pela qual se selecionar esta tarifa, também deverá ter em consideração o ciclo horário que melhor se adequa à sua empresa.

Desde logo a morada, sendo que esta deve estar identificada para o fim a que se destina. No momento da contratação, deverá facultar o NIF da sua empresa, que é distinto do NIF pessoal, mesmo que seja trabalhador independente e que seja o único sócio da empresa.

Como selecionar o melhor Plano de Eletricidade para a minha empresa?

 

Ao longo do artigo, já fomos dando algumas pistas sobre esta resposta. Em primeiro lugar, deverá verificar o consumo energético da sua empresa, por forma a poder selecionar a Tensão.

Tensão

Neste ponto, deverá saber que existem diferentes Tensões, em função das necessidades energéticas:

  • Baixa Tensão Normal (BTN): faixa específica dentro da Baixa Tensão e, em Portugal, corresponde ao fornecimento de energia elétrica de Baixa Tensão para potências entre 1,15 kVA e 41,4 kVA.
  • Baixa Tensão Especial (BTE): faixa específica dentro da Baixa Tensão e corresponde ao fornecimento de energia elétrica de Baixa Tensão para potências a partir de 41.4 kVA. Destina-se a empresas que têm necessidades energéticas superiores a 41,4 kVA, não obstante não são equiparadas às necessidades, por exemplo, de empresas industriais.
  • Média tensão (MT): destina-se a empresas que têm necessidades energéticas superiores a 200 kVA, como por exemplo, é o caso da indústria automóvel, metalúrgica e hotelaria, principalmente a de grande dimensão.
  • Alta Tensão (AT): destina-se, essencialmente, a hospitais, que necessitam de bastante energia, ou grandes indústrias, como são os casos das indústrias da celulose e dos polímeros. Ou seja, entidades com potências instaladas superiores a 10 MVA, alimentadas ao nível de tensão de 60 kV.

Potência

Como vimos, dentro das diferentes Tensões existem várias potências, pelo que esta fase não é menos importante. A potência contratada corresponde à potência máxima que limita o funcionamento dos equipamentos elétricos usados ao mesmo tempo.  Para calcular a potência contratada que a sua empresa necessita, deverá fazer o seguinte cálculo:

  • Contabilize os kWh que os diferentes equipamentos que a sua empresa tem gastam por hora. 
  • Com base nos equipamentos elétricos que usa ao mesmo tempo, multiplique o número de kWh por 1,25 e obtém a potência em kVA a contratar (1 kW = 1,25 kVA).

Ciclo horário

Analise quando a sua empresa consome mais energia, em que períodos do dia, e procure, inclusive, verificar se é possível que algum destes consumos seja realizado numa outra hora, em que a energia é mais barata. Procure adaptar os consumos da sua empresa às horas em que a energia é mais barata, recordando que existem, de uma forma sucinta, três tipos de tarifa:

  • Simples: o preço é constante, quer isto dizer que o preço da energia elétrica é igual em todas as horas, todos os dias da semana
  • Bi-horária: o valor do kWh varia conforme o horário de consumo, sendo que existem dois períodos.
    • Horas de Vazio: período em que o preço da energia é mais baixo (e que, geralmente, existe um menor consumo).
    • Horas Fora de Vazio: neste período, o preço da energia é mais alto, condizente com os consumos existentes.
  • Tri-horária: o valor do kWh varia conforme o horário de consumo, sendo que podemos dividir esta tarifa em três períodos horários.
    • Ponta
    • Cheias
    • Vazio (onde o preço da eletricidade é mais baixo)

Tipo de tarifa

Como reforçamos logo no início do artigo, a competitividade das empresas é fundamental para o desenvolvimento económico. Todos os custos são importantes e todos eles deverão ser analisados. Uma tarifa indexada, por exemplo, poderá permitir-lhe uma grande poupança na fatura de energia, não apenas porque os preços dos mercados grossistas começaram a estabilizar nos últimos meses (atualizado a 20/03/23), mas também porque não paga o prémio de risco. Para além disso na Repsol, não existe fidelização, pelo que poderá alterar de Plano, ou mesmo de comercializadora, a qualquer momento.

Caso tenha dúvidas, as nossas equipas poderão apoiar a sua empresa em todas estas etapas de seleção e ajudar a sua empresas a prosperar.